Barreira tenta diminuir estragos do encontro da lama com o mar no ES | Rádio Arara FM 87,9

ULTIMAS NOTÍCIAS

.

.

Barreira tenta diminuir estragos do encontro da lama com o mar no ES



A lama de rejeito de minério da barragem da Samarco, que se rompeu em Mariana, Minas Gerais, avança em direção ao mar e a previsão é que chegue ao litoral do Espírito Santo no final da tarde deste sábado (21).

As consequências desse desastre ambiental, o maior do país na área de mineração, ainda são incalculáveis. A expectativa agora é saber se vai funcionar a barreira de nove mil metros, feita com boias, para diminuir os estragos do encontro da lama com o mar.

A mancha escura avança pelo Rio Doce e já percorreu quase 600 quilômetros. Agora, apenas 25 quilômetros separam a lama do mar. Neste sábado, a lama chegou ao distrito de Povoação, que é um balneário, mas onde o Rio Doce não deságua no oceano.

Depois de Povoação, vem a última fronteira, o distrito de Regência, onde o encontro da lama com o mar será inevitável. Neste local, há um grande estuário, onde há desova e reprodução de animais aquáticos. Técnicos contratados pela mineradora Samarco já terminaram o trabalho de instalação de boias para tentar diminuir os estragos. Normalmente, elas são usadas para conter vazamento de óleo. A expectativa é que essa barreira funcione também para o rejeito de minério.

Desespero em Colatina
Em Coltatina, os moradores estão enfrentando filas quilométricas para conseguir o básico: água mineral. A distribuição começa às 17h e vai até 22h e conta com a ajuda do Exército e da Polícia Militar.

A captação de água em Colatina, que é feita pelo Rio Doce, está interrompida desde quarta-feira (18), quando a lama vinda do rompimento da barragem em Mariana, chegou à cidade. Segundo o ministro da Integração Nacional, Gilberto Roque, a previsão é que a captação volte ao normal no início da próxima semana.

Em nota, a mineradora Samarco disse que "respeita o direito à manifestação, dentro dos limites da lei e de forma pacífica”. A Justiça Federal determinou multa de R$ 10 milhões por dia se a Samarco não apresentasse um plano contra o avanço da lama. A empresa apresentou esse plano, mas o Ministério Público considerou que as medidas não são eficientes. Agora, a justiça vai ter que decidir sobre a cobrança da multa.

Fonte : Jornal Hoje/G1

0 comentários Em"Barreira tenta diminuir estragos do encontro da lama com o mar no ES"

Deixe um Comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

Postagem mais recente Postagem mais antiga