Mortes por dengue cai pela metade na PB, mas risco de epidemia continua alto | Rádio Arara FM 87,9

ULTIMAS NOTÍCIAS

.

.

Mortes por dengue cai pela metade na PB, mas risco de epidemia continua alto



1adengue1A Secretaria de Estado da Saúde (SES) divulgou nesta terça-feira (1º) o boletim epidemiológico nº 08, referente ao período de 1º de janeiro a 22 de agosto de 2015, no qual revela que a Paraíba está mantendo redução no número de óbitos por dengue.  Neste ano, foram confirmadas três mortes por dengue, uma redução de 50% em relação à igual período do ano passado, quando foram registrados seis óbitos.
“Mesmo com esta redução, a SES recomenda às Secretarias Municipais de Saúde que mantenham a rede atenta para o diagnóstico precoce da doença e o manejo correto para que os óbitos sejam evitados”, disse a gerente executiva de Vigilância em Saúde da SES, Renata Nóbrega.
De acordo com o boletim, neste mesmo período, foram notificados 23.493 casos suspeitos de dengue. Destes, foram confirmados 9.567, com 4.120 casos descartados. No mesmo período de 2014, foram 6.303 casos suspeitos, sendo 1.679 descartados. Há uma  expressiva redução das notificações, a partir do mês de junho de 2015, que pode estar associada ao período chuvoso em parte dos municípios paraibanos.
“É relevante destacar que as ações de combate ao mosquito Aedes Aegypti sejam mantidas e planejadas junto à vigilância epidemiológica de cada município para traçarem as metas, de acordo com a situação epidemiológica local”, lembrou Renata.
Epidemia – Os municípios considerados em epidemia, quando analisado o volume de notificações do mês de janeiro até o presente momento são: Água Branca, Alagoa Grande, Alagoa Nova, Alagoinha, Alcantil, Alhandra, Aparecida, Arara, Areia de Baraúnas, Areial, Aroeiras, Assunção, Bananeiras, Baraúna, Barra de Santana, Bayeux, Belém, Bernardino Batista, Boa Vista, Bom Jesus, Borborema, Brejo dos Santos, Caaporã, Cabaceiras, Cabedelo, Cachoeira dos Índios, Cacimba de Areia, Cacimbas, Caiçara, Cajazeiras, Caldas Brandão, Camalaú, Capim, Catolé do Rocha, Caturité, Conde, Coremas, Coxixola, Cruz do Espírito Santo, Cuité, Cuitegi, Diamente, Dona Inês, Duas Estradas, Fagundes, Frei Martinho, Guarabira, Gurjão, Ingá, Itabaiana, Itaporanga, João Pessoa, Juarez Távora, Juazeirinho, Junco do Seridó, Juripiranga, Juru, Logradouro, Lucena, Mãe d’Água, Manaíra, Marizópolis, Matinhas, Maturéia, Mogeiro, Monteiro, Mulungu, Nazarezinho, Nova Olinda, Nova Palmeira, Ouro Velho, Parari, Pedra Lavrada, Pedro Régis, Piancó, Picuí, Pilar, Pilõezinhos, Pirpirituba, Pitimbu, Prata, Princesa Isabel, Puxinanã, Remígio, Riachão, Riachão de Santo Antônio, Riachão dos Cavalos, Salgado de São Felix, Santa Helena, Santa Rita, Santana dos Garrotes, Santarém, Santo André, São Bento, São Domingos, São João do Rio do Peixe, São José de Princesa, São José do Sabugi, São José dos Ramos, São Mamede, São Sebastião do Umbuzeiro, Serra Grande, Sertãozinho, Sousa, Tavares, Teixeira, Triunfo, Uiraúna, Umbuzeiro, Várzea, Vieirópolis e Zabelê.
Febre de Chikungunya –  De janeiro a agosto, foi confirmado um caso, em uma pessoa que veio de Feira de Santana, na Bahia, e estava em visita no município de Cajazeiras. Mais cinco casos estão sendo investigados e 10 foram descartados.
“É importante ressaltar que a população tem um papel fundamental adotando as medidas de combate ao mosquito”, alertou.
Para as notificações dos casos suspeitos da febre, os municípios devem entrar em contato com a Secretaria de Estado da Saúde, nos telefones: 0800-281-0023/ 3218-7331/ 8828-2522.
Zika Vírus – A Secretaria implantou as unidades sentinelas do Zika vírus, conforme recomenda o Ministério da Saúde. A Rede Sentinela é composta por unidades de saúde (chamadas de unidades sentinela) que identificam, investigam e notificam, quando confirmados, os casos do agravo em questão.
Pacientes que apresentem exantema máculopapular pruriginoso, acompanhado de, pelo menos, dois dos seguintes sinais e sintomas: febre e/ou hiperemia conjuntival (olho vermelho) sem secreção e prurido (coceira) e/ou poliartralgia (dor nas articulações)/ou edema periarticular (edema dentro do osso).
Guillain Barré – Nos meses de julho e agosto de 2015, foram informados, pelos serviços hospitalares, 12 casos suspeitos de Guillain Barré, de correlação com dengue , zika e chikungunya, sendo oito descartados e quatro estão sendo investigados.
Ações – A SES está realizando uma série de ações, entre elas, visita técnica aos municípios que registraram suspeita de óbitos por dengue (Duas Estradas, Marcação, Alhandra, São João do Rio do Peixe, Guarabira, Cruz do Espírito Santo, Santa Rita e Sousa), para acompanhamento e recomendação das ações de vigilância; distribuição de 50 motos para dar suporte às Gerências Regionais de Saúde na supervisão das ações de combate ao mosquito; participação de videoconferência sobre dengue e Chikungunya com equipe técnica do Ministério da Saúde; parceria com a UFPB e Lacen para o isolamento viral de dengue na Paraíba; articulação e adequação da rede de referência para recebimento e condução dos casos graves visando à redução do número de óbitos; e aquisição de oito carros-fumacê.
Assessoria

0 comentários Em"Mortes por dengue cai pela metade na PB, mas risco de epidemia continua alto"

Deixe um Comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

Postagem mais recente Postagem mais antiga