ULTIMAS NOTÍCIAS

.

.
0
O Vasco está de volta à elite do basquetebol brasileiro após 13 anos de ausência das principais competições. A vaga no Novo Basquete Brasil (NBB) foi obtida na noite desta sexta graças ao título da Liga Ouro, conquistado com uma marcante vitória por 87 a 77 sobre Campo Mourão no ginásio do rival. O acesso coroa um processo de reconstrução iniciado no ano passado. O passo inicial foi a reforma do ginásio de São Januário, feita através de um financiamento coletivo junto aos torcedores. A partir de então, o clube buscou recursos para montar uma equipe competitiva, apostando em uma mescla de veteranos e jogadores com alguma rodagem. No banco, a diretoria resolveu dar um voto de confiança a Christiano Pereira, que já havia dirigido o time na conquista do Torneio Carioca, em 2014. Relembre a saga vascaína até a classificação ao NBB:
RECONSTRUÇÃO DO GINÁSIO

No início de 2015, o Vasco lançou uma campanha para arrecadar fundos junto aos seus torcedores com o intuito de reformar o antigo ginásio de São Januário, fechado desde 2011devido a diversos problemas estruturais. Os R$ 235 mil levantados foram mais que suficientes para garantir a reforma do local, reinaugurado em uma partida festiva com ídolos do passado, em janeiro deste ano. São Januário foi o palco de todos os jogos do Vasco como mandante na Liga Ouro.
Rogério Vasco basquete são januário (Foto: Carlos Gregório Jr/Vasco)Rogério, bicampeão brasileiro em 2000/01 participou do jogo de reinauguração (Foto: Carlos Gregório Jr/Vasco)
- A reconstrução e a reinauguração do ginásio foi o início de tudo, pois foram eventos que nos trouxerem emoções fortíssimas, coroada com a festa maravilhosa que a torcida fez na última terça-feira no jogo 4 da final contra Campo Mourão. Esses eventos todos serviram para mostrar a força que o Vasco tem no basquete, o que nos dá uma responsabilidade enorme em manter isso tudo aqui - afirmou o vice-presidente de quadra e salão do Vasco, Fernando Lima.
APOSTA EM VETERANOS

Sem um patrocinador master para a disputa da Liga Ouro, o Vasco teve que montar um elenco com recursos próprios. Boa parte dos jogadores foram contratados a poucas semanas do início da competição, e a diretoria resolveu apostar em veteranos como Robby Collum (35 anos), William Drudi (34), Hélio (34), Márcio (40) e Ricardinho (41) e jogadores com passagens por equipes do NBB, casos de Gaúcho, ex-Sorocaba, Jeff Agba, ex-Paulistano, Douglas Nunes, ex-Limeira, e Erick Camilo, ex-Franca. Da Argentina, o Vasco trouxe Damian Palacios, que deu uma nova cara ao time ao chegar com a Liga Ouro já em andamento.
Ricardinho Vasco campeão liga ouro basquete (Foto: Allan Conti/LNB)Márcio (à esq.) e Ricardinho: os mais velhos da equipe vascaína (Foto: Allan Conti/LNB)
- O maior mérito da equipe nessa Liga Ouro foi a união. É um grupo ímpar, nos piores momentos sempre estiveram juntos e nunca deixaram de acreditar. São jogadores muito unidos tanto dentro como fora de quadra. Agora espero que montemos uma grande equipe no NBB para brigarmos com os grandes - comentou o técnico Christiano Pereira.
INÍCIO CAMBALEANTE

A caminhada na Liga Ouro não foi nada fácil. Na estreia, em fevereiro, derrota para o Ginástico em São Januário. Ao longo da primeira fase foram 12 jogos, sete vitórias e cinco derrotas, o que deu ao Vasco a segunda colocação na classificação final. Por ter sido o primeiro, Campo Mourão avançou direto à decisão. Vasco e Ginástico (terceiro colocado) tiveram que disputar uma semi. O Cruz-maltino chegou a ter uma chance para alcançar a liderança da fase de classificação na última rodada. Contudo, o time foi derrotado por 69 a 68 por Campo Mourão em São Januário, frustrando as expectativas da comissão técnica de descansar a equipe na semifinal e ter a vantagem de jogar três partidas em casa na decisão.
Andrezão, do Campo Mourão, sobe para a cesta (Foto: Paulo Fernandes/Vasco.com.br)Campo Mourão foi mais regular que o Vasco na primeira fase (Foto: Paulo Fernandes/Vasco.com.br)
- Não fizemos a pré-temporada desejada, porque o elenco foi montado às pressas. O primeiro turno foi difícil, pois tivemos várias contusões, e a equipe ainda estava buscando um melhor entrosamento. Por isso digo que foi uma conquista da superação - destacou Fernando Lima.
APROXIMAÇÃO COM O TORCEDOR

Ao longo da competição, o time foi caindo nas graças do torcedor, que passou a comparecer em grande número aos jogos em São Januário e até nas partidas fora do Rio. No jogo 4 da final contra Campo Mourão, muitos cruz-maltinos não conseguiram entrar no ginásio, o que gerou um princípio de confusão com os portões de São Januário tendo de ser fechados para evitar uma invasão - o clube da Colina não costuma cobrar ingressos quando joga em seu ginásio. Dentre os jogadores cruz-maltinos, o veterano Ricardinho é o mais identificado com os torcedores. Após o título em Campo Mourão, coube ao armador de 42 anos puxar o grito de "Casaca" na quadra do Juscelino Kubitschek (assista no vídeo acima).
Vasco x Campo Mourão jogo 4 final Liga Ouro basquete (Foto: Alexandre Ribeiro)PM tenta evitar uma "invasão" de torcedores que ficaram do lado de fora de São Januário (Foto: Alexandre Ribeiro)
- Ver isso tudo que está acontecendo, esse resgate do basquete do Vasco, é algo que me emociona. São 13 anos dentro do clube e voltar com o título não tem preço. Independente de eu jogar ou não, vestir essa camisa é um orgulho enorme. Quero dedicar o título à minha família e à toda a nação vascaína. Vocês são demais - disse o emocionado camisa 9, que era o mais eufórico com o título da Liga Ouro nesta sexta-feira.
VIRADA SOBRE O FAVORITO

Para coroar a saga cruz-maltina na busca por um lugar no NBB, o time ainda teve de conquistar o título em um playoff dramático contra Campo Mourão. Os dois primeiros jogos foram no Paraná, ambos vencidos pela equipe da casa, que ficou a uma vitória do título. Em São Januário, duas partidas muito equilibradas. Entretanto, dessa vez a sorte estava do lado do Time da Colina, que conseguiu empatar a série, forçando o jogo 5 em Campo Mourão. Mesmo na casa do rival, o Vasco se impôs conseguindo a vitória e a virada na série que parecia improvável.
Christiano espera que o time repita o bom desempenho defensivo (Foto: Luiz Pires/LNB)Christiano Pereira: "Não tem muito o que explicar, o Vasco é o time da virada" (Foto: Luiz Pires/LNB)

Fonte : GE
0
Presos da maior penitenciária do Brasil em Pernambuco construíram uma favela dentro dos pátios com setores conhecidos como "Minha cela, minha vida" ─ nome inspirado no programa federal Minha Casa, Minha Vida ─, espécie de "área VIP" destinada aos detentos próximos do comando do narcotráfico local e, por isso, conseguem pagar pelo "aluguel".
Este foi o cenário que dois juízes e outros dois advogados da Corte Interamericana de Direitos Humanos testemunharam na última semana em visita ao Complexo do Curado, que abriga mais de 7 mil presos, embora tenha capacidade para no máximo 1,8 mil.
Localizado a 7 km do centro do Recife, o presídio é o maior do Brasil e um dos maiores da América Latina quando o assunto é população carcerária.
Com um número insuficiente de agentes penitenciários ─ cerca de 300 ─ para dar conta das três unidades prisionais que compõem o complexo, o Curado coleciona denúncias de violação extrema de direitos humanos e, segundo especialistas, põe em risco a vida de cerca de 100 mil pessoas que vivem nas imediações.
Para conseguir uma vaga na "área VIP", o detento precisa pagar cerca de R$ 120 por semana. O espaço consiste em favelas construídas dentro dos pátios das três unidades prisionais.
"Você conhece um 'chaveiro' que te indica à direção (do presídio) para ser transferido, e aí você negocia o aluguel com ele", diz relato descrito pelo pesquisador da ONG Justiça Global, Guilherme Pontes, que acompanhou a visita dos juízes da Corte, em 8 de junho.

Milícia dos chaveiros

"Chaveiros" é o termo que designa os próprios presos responsáveis pela administração do presídio para desempenhar funções de agentes de segurança, em razão da escassez de carcereiros.
Em sua maioria, são acusados de pertencer a grupos de extermínios, formam coletivos conhecidos como "milícia dos chaveiros" e ganham status de autoridade para supervisionar e controlar pavilhões inteiros.
Eles, literalmente, têm a chave da cadeia, determinando quem pode ou não negociar drogas, e aplicam castigos e torturas, além de cobrarem taxas de manutenção ou "pedágio", segundo os relatos obtidos na visita da Corte.
"Os chaveiros são figuras bem explícitas mesmo. São as pessoas responsáveis por manter a disciplina em cada pavilhão", afirma Pontes.
O representante da Justiça Global narrou à BBC Brasil como foi a visita de membros da Corte e trechos de conversa que teve com detentos que vivem no "Minha cela, minha vida" em uma das unidades.
"O Curado é um presídio muito particular, as situações são extremas ali. A parte apelidada de 'Minha cela, minha vida' seria a área VIP. São barracos de celas autoconstruídos de madeira e alvenaria, uma espécie de favelinha dentro do complexo prisional com becos, barracos de dois andares. Estar lá foi, de fato, impressionante, muito inusitado", destaca.
Pontes diz que os integrantes da Corte reagiram com surpresa à situação. Em um dos espaços vivem cerca de 200 presos que compartilham apenas três banheiros. Os barracos são coletivos, às vezes com cinco presos dividindo dois colchões.
"Os becos do 'Minha cela, minha vida' são a céu aberto. Diante da superlotação do presídio, aqueles que não conseguem financiar um lugar tido como privilegiado são mandados para dormir na 'BR', que é a forma como se referem aos corredores dos pavilhões fechados", diz Pontes.
Há pavilhões em que presos cavam buracos na parede, as "tocas", para servir de cama. Há também celas menores de 4 metros quadrados que, para acomodar grupos de dez pessoas, constroem mezaninos de madeira.
Complexo do CuradoImage copyrightMINISTÉRIO PÚBLICO
Image captionChamada 'Minha Cela Minha Vida', essa é a 'área VIP' do presídio, onde detentos pagam para 'fugir' da superlotação
Em nota, a Secretaria de Justiça e Direitos Humanos de Pernambuco informou à BBC Brasil que, na visita, foram apresentados à comitiva planos de urgência e emergência realizados nas três unidades relacionados à saúde, segurança e garantia dos direitos humanos aos presos.
"Achei a visita bastante positiva, pois tivemos a oportunidade de apresentar à Corte as melhorias já realizadas e programadas nos presídios", diz o secretário estadual de Justiça e Direitos Humanos, Pedro Eurico.

Primeira visita da Corte a prisões

Foi a primeira vez que os membros da Corte IDH inspecionam uma prisão nas Américas. Segundo a Justiça Global, várias áreas do complexo foram "maquiadas" para a vistoria dos juízes.
"Algumas partes do presídio foram reformadas e pintadas para a visita da Corte. Fizeram obras em tempo recorde. A enfermaria foi melhorada, ampliaram a área da padaria para o trabalho dos presos. Sabemos que muitos setores foram pintados pelos próprios presos. Houve mobilização para melhorar a aparência do presídio", declara Pontes.
"O Curado está completamente comprometido", diz à BBC Brasil o promotor de Justiça da Vara de Execuções Penais de Pernambuco, Marcellus Ugiette, ao defender o fim do complexo.
"Não só a vida dos presos está comprometida lá dentro, como está afetando a vida e a segurança da comunidade em volta. Vemos condições precaríssimas. Esse tipo de tratamento não socializa. O Estado deixou o mal tomar conta das prisões."
A resolução do Conselho Nacional de Política Criminal e Penitenciária recomenda que o número de agentes seja de um para cada cinco presos ─ o que, na atual condição do Curado, exigiria 1,4 mil agentes, em vez dos 300 atuais. Além disso, prevê defensor público, para cada 500 detentos, o que daria 40 defensores, 13 a menos do que a equipe atual.
Promotores estimam que o número de "chaveiros" ali seja equivalente à quantidade de agentes carcerários.

Facões, armas e denúncias

Além disso, a quantidade de armas que circula dentro dos pavilhões é alarmante, diz o promotor. Só neste ano, mais de mil facões foram recolhidos. Hoje, estima-se que os presos tenham 30 armas de fogo ─ entre pistolas e revólveres.
Há relatos de que moradores dos bairros nas imediações foram mortos por disparos feitos de dentro do Curado. Em caso registrado há cerca de duas semanas, bombas lançadas no presídio destruíram 30 casas a 40 metros de distância, deixando feridos.
Desde 2008, o Estado brasileiro é denunciado por problemas como superlotação carcerária. Em setembro de 2015, a Corte Interamericana julgou o governo de Pernambuco por denúncias de superlotação e maus tratos.
Em outubro passado, a Corte ordenou ao país a adoção de medidas como a eliminação do tráfico de armas no presídio e das figuras dos "chaveiros", o fim da superlotação, acabar com as inspeções vaginais e anais nos visitantes, assegurar acesso aos serviços de saúde, evitar propagação de doenças contagiosas e, por fim, que o Estado retomasse o controle do complexo.
Complexo do CuradoImage copyrightCÉSAR MUÑOZ ACEBES / HUMAN RIGHTS WATCH. 2015
Image captionDesde 2008, o Estado brasileiro é denunciado por problemas como superlotação carcerária
A visita da Corte ao Curado tinha como objetivo acompanhar de perto a implementação dessas resoluções. Segundo Pontes, da Justiça Global, é "flagrante" que muitas dessas medidas não foram cumpridas pelo governo do Estado.
A ação que deu origem ao processo na Corte IDH foi feita por uma coalizão formada entre a Pastoral Carcerária, o Serviço Ecumênico de Militância nas Prisões, a Justiça Global e a Clínica Internacional de Direitos Humanos da Faculdade de Direito de Harvard.
Durante quatro anos, a coalizão de organizações catalogou centenas de violações à dignidade humana dos presos, funcionários e visitantes do Curado.

Outras denúncias

Antes de o caso chegar à Corte, foi primeiro denunciado à Comissão Interamericana de Direitos Humanos da Organização dos Estados Americanos (OEA), com sede em Washington, que constatou pela primeira vez as denúncias em 2008.
O então presídio Professor Aníbal Bruno, com 3,8 mil presos e capacidade para 800, passou por reformas de R$ 30 milhões como resposta às recomendações da Comissão e, assim, a estrutura foi dividida em três unidades, o que deu origem ao Complexo do Curado.
Segundo Ugiette, a reforma serviu "para dar uma resposta maquiada à OEA. O que era ruim, ficou pior. Multiplicaram-se o número de chaveiros, de desmandos, a entrada de armas e o tratamento indigno".
Em 2011, novas denúncias sobre as violações de direitos humanos ocorridas no Complexo do Curado foram apresentadas à Comissão, que determinou que o Brasil adotasse medidas para sanar os problemas.
A situação agravou-se e, em 2015, passou para as mãos da Corte IDH, que decretou medidas provisórias a serem adotadas de forma urgente. Os autos do processo internacional contêm 268 denúncias, dentre as quais 87 são de mortes violentas.
Nas próximas semanas, a Corte deverá emitir uma resolução que poderá implicar em novas determinações ou na condenação do Estado brasileiro ─ o efeito prático disso não é muito claro, mas pode resultar em multa, em determinação judicial para que o problema seja corrigido ou em um constrangimento internacional para o Brasil.
Na opinião do promotor, a presença dos juízes no Curado representa uma "pressão positiva" para que Estado brasileiro seja cobrado mais intensamente.
Segundo nota do governo pernambucano, "desde o início (em 2015) do governo Paulo Câmara (PSB), o Estado respondeu todas as consultas feitas pela Corte Interamericana de Direitos Humanos da Organização dos Estados Americanos".
Fonte : 
0

O TCU (Tribunal de Contas do Estado) acaba de encaminhar à Justiça Eleitoral a lista de todos os gestores paraibanos que tiveram contas reprovadas. São 212 nomes, envolvidos em 339 processos que tramitaram no Tribunal, nos últimos anos. Há casos de ex-prefeitos com sete contas rejeitadas, e que ainda aguardam um julgamento pela Justiça para se tornar ficha suja.
Segundo o TCU, o objetivo é informar à Justiça Eleitoral quais gestores públicos tiveram as contas rejeitadas devido a irregularidades insanáveis. Caberá à Justiça Eleitoral, com base em critérios definidos em lei, declarar a inelegibilidade, se assim entender cabível.
Aparecem na lista alguns ex-gestores da região metropolitana de Guarabira. Confira:
Sete reprovações
NILTON MARQUES BEZERRA
TEÓFILO JOSÉ DE SOUSA E SILVA
Seis reprovações
ACHILLES LEAL FILHO – (MULUNGU)
JOÃO DE DEUS FERREIRA DA SILVA – (SERRARIA)
MARCOS ANTÔNIO DOS SANTOS
Cinco reprovações
ANTÔNIO FERNANDES NETO
ENOCH ALVES SOBRINHO
Quatro reprovações
ALENI RODRIGUES DE OLIVEIRA
ANTÔNIO CARLOS CAVALCANTE DIAS
AUGUSTO BEZERRA CAVALCANTI NETO- (BANANEIRAS)
CARLOS PESSOA NETO
COZETE BARBOSA LOUREIRO GARCIA DE MEDEIROS
ERASMO QUINTINO DE ABRANTES FILHO
HÉRCULES ANTÔNIO PESSOA RIBEIRO – (PITIMBU)
MANOEL DOMICIANO DANTAS
ODONIEL DE SOUZA MANGUEIRA
SEBASTIÃO TAVARES DE OLIVEIRA
Três reprovações
ALBERTO NEPOMUCENO
ALLAN PONTES NEPOMUCENO
ANTÔNIO ALBUQUERQUE CABRAL (CUITEGI)
ANTÔNIO GOUVEIA DE SOUZA
ANTÔNIO JOSÉ DA SILVA
ERNANI DE SOUZA DINIZ
FERNANDO ARAÚJO FILHO
FRANCISCO EMÍDIO BATISTA
FRANCISCO MARCÍLIO FERNANDES LOPES
INÁCIO DE OLIVEIRA AMORIM
JORGE URÇULO RIBEIRO COUTINHO – (GURINHEM) 
MARCELO DE FIQUEIREDO LOPES
SAULO JOSÉ DE LIMA
Duas reprovações
ALEXANDRE JOSE DE ALMEIDA GAMA
APOLINÁRIO DOS ANJOS NETO
CARLOS ANTÔNIO ARAÚJO DE OLIVEIRA
CLAUDINO CÉSAR FREIRE – (GURINHEM)
DARCY ALVES DE LACERDA
DECZON FARIAS DA CUNHA
FRANCISCO HÉLIO DA COSTA
GERALDO DE OLIVEIRA
GERALDO LUIZ LEITE
GILBERTO GOMES BARRETO
JADER NUNES DE OLIVEIRA
JÁDER SOARES PIMENTEL – (GUARABIRA)
JANÚNCIO BATISTA DA COSTA
JOANITA LEAL DE BRITO
JOAQUIM GILBERTO SOARES
JOSÉ AFONSO GAYOSO FILHO
JOSÉ ELENILDO QUEIROZ
JOSÉ FELICIANO FILHO – (SAPÉ)
JOSÉ LINS DA SILVA
JOSEMAR BELMONT – (TACIMA)
JOSÉ MARINALDO DE LIMA GOMES
JOSÉ RIBEIRO DA SILVA – (ITAPOROROCA)
JOSÉ SIMÃO DE SOUSA
JULIO LOPES CAVALCANTI
LUCIANO CARNEIRO DA CUNHA
MANOEL FELISBERTO GOMES BARBOZA
MARCELO CAPISTRANO DE MIRANDA MONTE
MARCOS TADEU SILVA
MARIA CRISTINA DA SILVA
MARIA DE LOURDES SILVA BERNADINO – (SERRARIA)
PEDRO BATISTA DE CARVALHO – (JACARAÚ)
ROBÉRIO SARAIVA GRANJEIRO
SAULO ROLIM SOARES
SÉRGIO BELTRÃO DE ARAÚJO – (ALAGOINHA)
SEVERINO MARCONDES MEIRA
THOMPSON FERNANDES MARIZ
Uma conta reprovada
ABMAEL DE SOUSA LACERDA
JÁCIO GOMES WANDERLEY
ALEXANDRE SILVA DOS SANTOS
ANA ADÉLIA CABRAL DE LIMA
ANTÔNIO ALMÉRIO FERREIRA MARRA
ANTÔNIO ARAÚJO RAMOS JÚNIOR
ANTÔNIO BORBA GUIMARÃES
ANTONIO EUSTAQUIO RESENDE TRAVASSOS
ANTÔNIO FELINTO NETO
ANTÔNIO JOSÉ DUARTE
ANTÔNIO MARTINIANO DOS SANTOS
ANTÔNIO MEDEIROS DANTAS
ANTÔNIO MENDONÇA COUTINHO FILHO
ANTÔNIO VERÍSSIMO DANTAS
ARIANO DANTAS MONTEIRO
ARISTIDES LUIZ HARDMAN
ASSIS GOMES DOS SANTOS
AUREMAR LIMA MOREIRA
BRASIL AMÉRICO LOULY CAMPOS
CACILDA BEZERRA MARQUES
CÁSSIA MARIA LIMA GOMES
CELIA MARIA NUNES CABRAL DE SANTANA – (SOBRADO)
CÉLIA REJANE PERAZZO
CLÁUDIA HELENA QUEIROZ DANTAS
CLAUDIANO FERREIRA MARTINS
DENIS ALBUQUERQUE DA COSTA
DURVAL BARBOSA DA SILVA
EDILSON PEREIRA DE OLIVEIRA
EDUARDO VICENTE LOURENÇO COELHO
EGILMÁRIO SILVA BEZERRA
ELIANE MARIA DE LIMA CAVALCANTI BEZERRA DE FIGUEIREDO
ERIVAN DIAS GUARITA
ESDRAS MAGALHÃES DOS SANTOS FILHO
ESPEDITO ALDECI MANGUEIRA DINIZ
EVALDO COSTA GOMES
FELIPE FERREIRA ADELINO DE LIMA
FERNANDO BARBOSA DE MORAES
FLÁVIA SERRA GALDINO
FLÁVIO ANTÔNIO CHAVES
FRANCINALDO DE OLIVEIRA QUEIROZ
FRANCISCA JERONIMO BARRETO
FRANCISCO ESSENINE E SILVA
FRANCISCO GILSON MENDES LUIZ
FRANCISCO GONÇALVES BATISTA
FRANCISCO LOPES DA SILVA
FRANCISCO NERIVAL DIAS DE MORAIS
FRANCISCO TOMAZ DE OLIVEIRA
GENOILTON JOÃO DE CARVALHO ALMEIDA
GERALDO CARVALHO FONSECA FILHO
GERALDO MORAIS DE CARVALHO
GERALDO TEIXEIRA DE CARVALHO
GESSÉ GOMES MEIRA
GILBERTO CAVALCANTE DE FARIAS
GIL BRAZ MORAIS DE LUNA
GILDIVAN LOPES DA SILVA
GIL GALDINO
GILVANDO CARNEIRO LEAL
GILVANDRO SILVA DE SIQUEIRA
GUILARDO ANTÔNIO BARROS MOREIRA DE CARVALHO
HÉLIO FREIRE DOS SANTOS – (DUAS ESTRADAS)
HERCULES SIDINEY FIRMINO
HUMBERTO ALVES DE SOUSA – (PILÕEZINHOS)
IGLÁUCIO ALVES FORMIGA
ILDEMAR ARAÚJO ANDRADE
ISAC ALMEIDA DE MEDEIROS
IVANILDO SOARES NOGUEIRA
JOÃO BATISTA BALDUÍNO
JOÃO BATISTA MEDEIROS
JOÃO DEON BENÍCIO DINIZ
JOÃO FLAVIO PAIVA
JOÃO LEITE DE ALMEIDA
JOÃO PEDRO DA SILVA
JOÃO RIBEIRO
JOÃO TARCÍSIO QUIRINO
JOAQUIM LACERDA NETO
JOSÉ ALEXANDRE ALVES
JOSÉ ALVES DE SOUSA
JOSÉ DA COSTA MARANHÃO – (BORBOREMA)
JOSÉ DA SILVA OLIVEIRA
JOSÉ DIONÍZIO DE OLIVEIRA
JOSÉ EDSON DA COSTA SILVA
JOSÉ ELOSMAN PEDROSA
JOSÉ ESTEVAM DE MEDEIROS FILHO
JOSÉ FRANCISCO MARQUES
JOSÉ GENUINO DE QUEIROZ MORAIS
JOSÉ IBIAPINA SOARES DO NASCIMENTO – (ARARA)
JOSELITO BANDEIRA DE LUCENA
JOSÉ MARQUES FILHO
JOSÉ OTÁVIO TARGINO DE ARAÚJO
JOSÉ PAULO DA SILVA
JOSÉ RIBEIRO FARIAS JUNIOR
JOSÉ RONALDO MARTINS DE ANDRADE
JOSÉ VALTER PEREIRA DA SILVA
JOSÉ WILLIAM MADRUGA
JOSINALDO VIEIRA DA COSTA
JOSIVALDA MATIAS DE SOUSA – (PIRPIRITUBA)
JOSIVAL JUNIOR DE SOUZA
JUECINA DE SOUZA MAGALHÃES
JURACI PEDRO GOMES
KLEYMER JULIO FREIRE COELHO
LAURI FERREIRA DA COSTA
LEIMAR DE OLIVEIRA
LEUCIO AUGUSTO PEREIRA DE MEDEIROS
LÚCIA MARIA ROLIM GUIMARÃES GUARDIA
LUCIANO MORAIS DA SILVA
LUÍS CARDOSO DA SILVA
LUIZ ALBERTO GADELHA DE OLIVEIRA
LUIZ DINIZ SOBREIRA
LUIZ FRANCISCO DE VASCONCELOS
MANOEL GOMES PEREIRA NETO
MANOEL RAMALHO DE ALENCAR
MANOEL SALES FERNANDES
MARCELLO FABRÍZIO DE OLIVEIRA CAVALCANTE
MARCELO SOBRAL DA SILVA
MARCÍLIO ILDSON DE LACERDA
MARCUS ANTÔNIO GUEDES VASCONCELOS FONSECA
MARIA DE FÁTIMA FERNANDES BATISTA
MARIA EVANÍSIA PAULINO E SILVA – (CUITEGI)
MARIA LICAR DE ANDRADE PEREIRA MONTEIRO – (ARAÇAGI)
MARIA MARLENE FERREIRA
MARIA ROSELITA BAUNILHA
MAURÍCIO HASENCLEVER BORGES
MAURO KYOTOKU
MILTON LÚCIO FILHO
MÚCIO ANTÔNIO SOBREIRA SOUTO
NILSON NOGUEIRA DE MELO
ODILON FERREIRA LIMA NETO
ORLANDO DANTAS DE MIRANDA
OSÉAS ALMEIDA NETO
RAIMUNDA SANTOS LIMA
RAIMUNDO CABRAL GUARITA
RAIMUNDO LIMA DE SANTANA
RITA DE CÁSSIA SOUZA MEDEIROS
RITA NUNES PEREIRA
ROBERTO SABINO DE SOUZA
SABINO DIAS DE ALMEIDA
SABINO SARAIVA NETO
SARA MARIA FRANCISCA MEDEIROS CABRAL
SÉRGIO CARVALHO DOS SANTOS
SEVERINO BRONZEADO NETO
TÂNIA MARIA FERREIRA COUTINHO FERNANDES
TARCÍSIO MARCELO BARBOSA DE LIMA – (BELÉM)
TEMÍSTOCLES DE ALMEIDA RIBEIRO
UMBERTO FERNANDES DE SOUZA
VIDAL ANTÔNIO DA SILVA
WALTER SANTA CRUZ

Fonte : TCU
0

Ele é considerado um dos melhores pilotos de MotoCross do nordeste, João Neto continua dado show de pilotagem por onde passa. Neste domingo dia 5 de junho ele foi destaque na corrida de MotoCross da cidade de Monte Alegre no vizinho estado do Rio Grande do Norte.

João Neto incrivelmente habilidoso com a moto pilotou bonito e conquistou ótimas colocações nas provas que disputou. Na categorias força livre João Neto chegou em 3º lugar,já na categoria MX1 ele conquistou também o 3º lugar.

Com garra, habilidades, dedicação e o patrocínio de Max preparação e Luis Pneus esse garoto irá cada vez mais longe.





Fonte : Portal Arara
0

Policiais da 21ª Delegacia Seccional de Polícia Civil e 7ª CIPM, da cidade de Solânea, na tarde desta quarta-feira (08), deram cumprimento aos mandados de prisão em desfavor das pessoas de FRANCISCO DA NÓBREGA, MANOEL FRANCISCO JULIÃO, vulgo MANOEL DA BURRA, os mesmos foram presos na cidade de Arara. Respondem pelos crimes de roubo e receptação.
Também foi preso em flagrante a pessoa de FÁBIO MEIRA DOS SANTOS, pelo crime de Violência Doméstica com Ameaça.
Na tarde de hoje nesta quinta-feira(09), foi dado cumprimento ao Mandado de Prisão em desfavor da pessoa de JOSÉ MARCOS DA SILVA, na cidade de Casserengue, por crime de receptação. Na ocasião em que foi efetuada a prisão do mesmo em sua residência foi encontrado estojos e munição de arma de fogo calibre. 38, sendo o mesmo autuado em flagrante delito, incurso nas penas do artigo 12 da Lei 10.826/03.
Todos foram encaminhados à Cadeia Pública de Solanea.
09


Fonte : TV Web Cidade
0

 A polícia Militar e a polícia civil da Comarca de Araruna cumpriram 18 mandatos de busca e apreensão na madrugada desta quarta-feira (08). Capitaneada pelo Tenente Rodrigues da 3ª Companhia de polícia Militar da Paraíba e o Delegado de polícia civil Drº Luiz Gonzaga, a operação foi batizada de 'Themis', deusa-guardiã dos juramentos dos homens. A operação abrangeu as cidades de Riachão, Tacima, Araruna e Cacimba de Dentro.
Em Araruna, a polícia prendeu o senhor Nicássio acusado de ser dono de uma fábrica de armas e apreendeu veículos adulterados. Ainda em Araruna, a polícia prendeu Luiz Antônio por (suposto) tráfico de drogas e o Bruno por consumo de drogas e quebra de albergue. 
Em entrevista, o Tenente Rodrigues disse a nossa reportagem que a operação 'Themis' faz parte de uma série de outras que irão ser desencadeadas como forma de repressão ao narcotráfico e crime organizado.
O Delegado de polícia civil Drº Luiz Gonzaga disse que apesar das dificuldades a polícia civil trabalha constantemente em busca de soluções para conter a violência.












Fonte : sensocriticopb
0


Mais uma vez o vereador Naldo mostrando que está de olho no que acontece no município de Arara, desta vez ele relatou em sua rede social a questão do patrimônio publico municipal, onde fala sobre a Frota de veículos da prefeitura municipal. 

Veja abaixo: 

O FIM DA FROTA

É notável a falta de zelo da atual gestão Municipal pelo nosso patrimônio. São ruas esburacadas e escuras e obras inacabadas. Somado a tudo isso, observamos a falta de compromisso com o nosso maior patrimônio que são os servidores do município, que por diversas vezes tiveram seus direitos ignorados e atraso em seus vencimentos, além da falência do Instituto de previdência municipal. 

Agora constatamos o começo do fim da frota do município, são vários veículos e máquinas que não funcionam mais. Um deles chama atenção, um caminhão pipa com apenas três anos de uso, doado pelo Governo Federal, o mesmo encontra-se com alguns pneus a menos. Enquanto isso, o gestor contrata caminhões pipas que recebem pagamentos até nos messes em que não prestam serviço. 

É importante lembrar que os referidos veículos estão supostamente em nome de “laranjas” o que está sendo apurado pelo Tribunal de Contas do Estado. Observe as imagens.











Fonte : Portal Arara