ULTIMAS NOTÍCIAS

.

.
0

As ligações clandestinas de energia elétrica, além de ser crime, podem causar diversos prejuízos. Na Paraíba, neste primeiro semestre foram registrados cerca de seis mil “gatos” de energia. Um número 4% maior que no mesmo período do ano passado, quando foram registrados 5,4 mil ligações clandestinas. A energia roubada neste período daria para atender por um ano, uma cidade do tamanho de Patos, no Sertão paraibano.
Segundo a Energisa, empresa responsável pelo fornecimento da energia elétrica no Estado, o consumo irregular da eletricidade gerou um prejuízo de aproximadamente 31,2 milhões só nesse semestre. “A energia desviada no período é suficiente para atender mais de 40 mil unidades consumidoras por um ano, o que corresponde a uma cidade do tamanho de Patos”, informou Marina Rievers, da gerência de comunicação da Energisa.
Além dos prejuízos financeiros, o desvio de energia pode acarretar danos nas instalações internas das casas sobrecarregando o sistema elétrico. “O furto de energia afeta o abastecimento, podendo causar acidentes e outros danos. Além do prejuízo financeiro, o furto  representa risco de morte, tanto para os que interferem no sistema elétrico à revelia da distribuidora, quanto para os vizinhos das unidades onde é feito o furto”, disse.
Punição para o crime
No caso da fraude confirmada, o consumidor irregular responderá a processo por crime contra o patrimônio, previsto no Artigo 155 do Código penal, e pode pegar até oito anos de prisão e pagar os valores do consumo da energia desviada.
De acordo com a gerência de comunicação, para localizar onde há ligação clandestina, a empresa mantém o Centro de Inteligência de Combate a Perdas (CICOP) que monitora o consumo dos clientes e até consegue detectar indícios de desvios de energia. “Com base nessas informações, são feitas verificações em campo”, contou.
Qualquer pessoa pode denunciar, de forma segura e sigilosa o furto de energia elétrica. “As denúncias podem ser feitas em qualquer dos nossos canais de atendimento: site, facebook,  o nosso aplicativo para celular  Energisa On, call center e agências”, disse.

Fonte : Alyf Santos do Correio da Paraiba
0

Há um ano, a família de Arlinda Soares, de 34 anos comia “Ratos de Junco” para poder matar a fome. A história de Arlinda e dos seus nove filhos, que moram em Alagoa Grande, localizada no Brejo paraibano, foi amplamente divulgada no início de julho de 2015. Com a notícia, muitas ajudas chegaram na época. Hoje, um ano depois, a situação não é muito diferente do primeiro encontro. O repórter Écliton Monteiro, da rádio 98 FM, foi até o local e viu o estado de miséria que a família ainda vive. Hoje, os ratos não estão mais nas panelas, mas deram lugar a passarinhos.
“Isso é a realidade, agora estamos comendo passarinho. Antes era rato, agora é passarinho”, afirmou Arlinda.
Com uma renda de apenas R$ 400 mensais, oriundas do Bolsa Família, Arlinda tem que sustentar nove filhos, sendo o mais velho deles com 16 anos e o mais novo com três meses. Ela afirma que ninguém da família está trabalhando no momento e que, mesmo que ela conseguisse emprego, ficaria difícil trabalhar, por ter que ficar com o bebê. A mãe diz que a feira que faz com o dinheiro que tem só dura até a metade do mês.
De acordo com Écliton, a única coisa que tinha para comer nesta sexta-feira (01) na casa de Arlinda era uma panela de arroz e dez passarinhos, que foram caçados por alguns de seus filhos durante a noite da quinta-feira (30).
Situação era parecida há cerca de um ano
A história da família ficou conhecida em 2015 após o registro de um jornalista que esteve no local para fazer uma matéria sobre outro assunto. Na ocasião, ele flagrou os filhos de Arlinda chegando na casa com ratos nas mãos. Ao perguntar para que eram aqueles ratos, os meninos afirmaram que era para comer.
“Eu fui até a casa da família para fazer uma reportagem sobre um homem que tinha morrido na comunidade. Quando estava iniciando a matéria, vi as crianças saindo do mato com os animais e todos tratados. Perguntei para qual a finalidade dos animais e eles foram enfáticos: para comer. Fiquei chocado com a situação de pobreza da família”, relatou o jornalista ao Portal Correio na oportunidade.
Além de substituir os ratos por passarinhos, outra coisa mudou na vida desta família. Desta vez para melhor. A casa, que antes era de barro, agora é de tijolo e cimento. No mais, tudo igual: fome, sofrimento e esperança.

Fonte : Correio da Paraíba
0

Em workshop sobre políticas de resíduos sólidos recicláveis, realizado na semana passada em Itabaiana, no Agreste da Paraíba, a 70 km de João Pessoa, o consultor ambiental e economista da Universidade Federal da Paraíba, Tarcísio Valério da Costa, disse que a cidade que sediou o evento poderia arrecadar até R$ 110.542,50 mensalmente com a venda de resíduos sólidos recicláveis. Para ilustrar essa possibilidade, o encontro apresentou o projeto da Associação dos Catadores de Material Reciclado (Ascamare), de Bonito de Santa Fé, no Sertão da Paraíba, a 493 km da Capital, iniciativa que se tornou exemplo para o Brasil ao ganhar o 1º lugar entre 63 participantes na premiação nacional Cidade Pró-Catador, promovida pela Secretaria-Geral da Presidência da República com ações de inclusão socioeconômica dos beneficiários.

Durante o workshop, o pesquisador apresentou um estudo segundo o qual diversos municípios paraibanos estão deixando de gerar receita com a venda de resíduos sólidos recicláveis. Além de citar o caso de Itabaiana, também tratou de outros municípios próximos como Remígio, que estaria deixando de arrecadar R$ 86,1 mil; Areia, que deixa de ganhar R$ 103,9 mil; e Pilões, que poderia faturar R$ 30,2 mil mensais.
O estudo do consultor se baseou na estimativa da produção de 1 kg de lixo por dia vendido a R$ 0,50 o quilo. Ele atribui a falta de arrecadação de recursos com a atividade à inexistência de adesão dos municípios à Política Nacional de Resíduos Sólidos instituída em 2010, que prevê uma série de atitudes para melhorar desde a coleta até o destino final dos resíduos sólidos. 

Quando se trata do cenário nacional, apenas 14% dos municípios brasileiros implantaram plenamente a coleta seletiva, que vai desde o treinamento dos catadores, ações de educação ambiental, construção de estrutura para a reciclagem dos resíduos sólidos e aquisição de equipamentos utilizados na atividade. 

Ainda segundo Tarcísio, 40% dos municípios no Brasil encerraram os lixões e 33,5% concluíram os Planos de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos. O consultor da UFPB destacou que para os projetos de reciclagem de resíduos sólidos darem certo é preciso executar um conjunto de ações integradas, a partir do comprometimento do governo municipal. 
O economista destacou que reciclar é uma boa oportunidade, tanto para o meio ambiente como para quem recicla. Mas lembrou que as pessoas ainda não atentaram para a iniciativa, pois apenas 55% dos resíduos produzidos são recicláveis e 45% não são aproveitados e o destino infelizmente são os aterros sanitários. 

Ele disse que dados do Ipea de 2010 revelam que o potencial da cadeia produtiva de recicláveis pode chegar a gerar uma movimentação financeira de R$ 8 bi com a implantação de políticas públicas para o segmento. “A indústria da confecção, por exemplo, utiliza 32% de pet”, informou. 
O workshop sobre resíduos, promovido pelo Governo da Paraíba, por meio do Cooperar e em parceria com o Banco Mundial, é uma forma de promover discussões sobre o assunto para estimular as potencialidades de novos projetos de sustentabilidade e que têm a possibilidade de financiamentos com recursos do PB Rural Sustentável a ser executado mais uma vez com a participação do Banco Mundial nos próximos seis anos na Paraíba.




Fonte : Portal Correio
0

O Governo do Estado, por meio da Secretaria da Infraestrutura, dos Recursos Hídricos, do Meio Ambiente e da Ciência e Tecnologia, concluiu 93% das obras de reconstrução da Barragem de Camará, em Alagoa Nova.
De acordo com o engenheiro responsável, Josivaldo Brasileiro, toda a concretagem do maciço e o revestimento da parede interna da barragem estão prontos e as comportas já foram fechadas para iniciar o acúmulo de água.
“Atualmente, estão sendo finalizados os serviços de montagem dos equipamentos das tomadas d’água e os serviços de injeção de cimento, faltando apenas executar a montagem de instrumentação de monitoramento da barragem”, informou o engenheiro.
A Barragem de Camará, que tem capacidade para acumular 26 milhões de metros cúbicos de água, vai beneficiar mais de 175 mil habitantes de 21 localidades da região do Brejo paraibano. Até o momento, foram empregados R$ 44 milhões na nova barragem, que deve ser concluída até o mês de setembro.
Sistema Adutor – As obras da Adutora Nova Camará também estão adiantadas. De acordo com Josivaldo, o sistema tem dois ramais: o ramal (Alagoa Nova) está com 37% finalizados e o ramal 2, que leva água para Esperança e Remígio, tem 90% de obra executada. A adutora terá 74 km de extensão e vai beneficiar 150 moradores de 13 municípios com acesso a água tratada.


Fonte : Acéssoria
0

Bandidos fortemente armados explodiram a Agência do Banco do Bradesco em Pilões, Brejo paraibano. A ação dos criminosos aconteceu na madrugada desta sexta-feira (01). Na sequência os elementos fugiram com destino à cidade de Areia e Arara.

Segundo informações de moradores, os bandidos efetuaram vários disparos nas entradas e nas principais ruas da cidade. A Polícia informou, que essa atitude dos criminosos é para impedir as pessoas de saírem de suas residências.

Pessoas também informaram que o bando realizou aproximadamente oito explosões à Agência. Policiais militares do 4º Batalhão realizam os trabalhos de diligência no intuito de localizar e prender os criminosos.







Fonte : nordeste1
0

Um morador do Sítio Farias, Zona rural de Bananeiras foi surpreendido por um bandido nessa quinta-feira (30) que o assaltou sem o menos pudor em plena luz do dia. Por volta das 10h30 a Polícia Militar foi acionada pela vítima, que na ocasião relatou que se encontrava próximo a sua residência, às margens da PB 105, quando se aproximou um elemento armado de revólver em uma motocicleta Fan 125, preta, placa NHK-0708 e efetuou o roubo.
O bandido levou um celular Not 3 de cor preta, logo em seguida tomou destino a cidade de Belém e adjacências.
Compareceu ao local a viatura 6922 que constatou a veracidade das informações e, diante disso realizou rondas na intenção de localizar e prender o acusado, porém sem êxito.
Em Solânea
Em Solânea, o COPOM recebei uma ligação anônima dando conta de que dois indivíduos encontravam-se na Rua Leôncio Costa em uma motocicleta sem placa e em atitudes suspeitas.
Feita a abordagem policial, após consultar a referida moto através do número do chassi, constatou-se ser uma Yamaha YBR 125k, preta, 2008; que tinha restrição de roubo/furto.
Porem, o proprietário alegou que tal moto havia sido furtada havia alguns meses e, que ele havia conseguido recuperá-la, contudo, não informou o fato a autoridade policial.
Compareceu ao local a guarnição na viatura 6009 que, conduziu a motocicleta e o proprietário para a delegacia para medidas cabíveis.

Fonte : Focando a Noticía
0

A equipe do delegado Dr. Elias Rodrigues juntamente com os policiais cívis da cidade de Araruna PB, recuperaram uma carga roubada em Araruna que estava na zona rural de Cuité, já na divisa com o Rio Grande do Norte,a carga tinha sido roubada em um caminhão F4 mil.

O agente Moura, falou a nossa reportagem que a princípio foram abordados pela equipe do Dr. Luíz, que é delegado daquele setor regional, e a partir disso emprenhamos diligências rumo ao setor que havia a referida carga, nun sítio de difícil acesso.

Chegando ao local constatamos a existência da carga e o flagrante para descobrirmos quem é o proprietário do referido local, que foi descoberto que seria do Senhor Francisco da Silva, conhecido como Trajano, o qual se apresentou aos policiais para investigações, e a partir disso os delegados Dr. Elias e Dr. Luíz iniciaram os trabalhos de praxe e apreensão das mercadorias furtadas, como se trata das regiões Paraíba e Rio Grande do Norte, tivemos que conduzir o senhor Trajano para a delegacia de Santa Cruz para ser ouvido em termos de declarações e apresentar esclarecimentos sobre o fato. A carga encontrada está avaliada em 10 mil reais que foi tomada de assaltos, a carga com sacos de farinha e um caminhão que ainda não foi encontrado.



Fonte: http://redemaisnoticias.com
0

O Procon municipal da cidade de Patos, no Sertão paraibano, fechou uma fábrica que de falsificava água mineral. O flagrante aconteceu durante uma ação de fiscalização que está sendo intensificada há cerca de dois meses no município.

Segundo o órgão, a fábrica clandestina funcionava na zona rural, no limite dos municípios de Patos e São José de Espinharas, no Sertão, e eram repassadas para estabelecimentos na zona urbana. O flagrante aconteceu no dia 16 de junho e, na última quinta-feira (23), o órgão recebeu o resultado de exames que confirmaram a presença de substâncias que tornam a água imprópria.

Os garrafões de 20 litros estavam sendo abastecidos com água retirada de poços artesianos. Conforme Maurício Alves, secretário do Procon, o líquido passava por um processo de limpeza para ficar com aparência cristalina.

Os rótulos também eram falsificados e os garrafões repassados para estabelecimentos. Maurício disse ainda que as ações de fiscalização foram intensificadas desde o último dia 4 de maio. Até esta quarta-feira (29) já foram fiscalizados cerca de 130 estabelecimentos comerciais, entre supermercados, panificados, mercadinhos, fornecedores e lojas de conveniência



Fonte : manchetepb